Menu

Quem Somos

Sobre o
Hemepar

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (HEMEPAR) é uma unidade da Secretaria de Estado de Saúde. É responsável pela coleta, armazenamento, processamento, transfusão e distribuição de sangue para 384 hospitais públicos, privados e filantrópicos que atuam em todas as regiões do Paraná.

É uma entidade sem fins lucrativos e atende a demanda de fornecimento de sangue e hemoderivados do estado graças às doações dos voluntários. A doação é o único modo de salvar a vida de milhares de pessoas, pois não há substituto para o sangue.

Visão

Estabelecer-se
como organização de excelência
em serviços de saúde.

Missão

Fornecer produtos e serviços
de hematologia e hemoterapia
com excelência e
responsabilidade socioambiental.

Se você é profissional da saúde e deseja saber mais sobre o Hemepar, clique aqui.

Quem Somos

Política de
Qualidade

• Incentivar e desenvolver ações nas áreas de ensino e pesquisa

Hemorrede Estadual

O Hemepar atua em rede, por meio de unidades localizadas no interior do estado do Paraná. Essa atuação se dá com um Hemocentro Coordenador (HEMEPAR Curitiba), quatro Hemocentros Regionais (Hemepar Guarapuava, Hemepar Cascavel, Hemepar Maringá e Hemepar Londrina), oito Hemonúcleos (Hemepar Ponta Grossa, Hemepar Pato Branco, Hemepar Francisco Beltrão, Hemepar Foz do Iguaçu, Hemepar Campo Mourão, Hemepar Umuarama, Hemepar Paranavaí e Hemepar Apucarana) e nove Unidades de Coleta e Transfusão de Sangue (Hemepar Paranaguá, Hemepar Irati, Hemepar União da Vitória, Hemepar Cianorte, Hemepar Cornélio Procópio, Hemepar Jacarezinho, Hemepar Toledo, Hemepar Telêmaco Borba e Hemepar Ivaiporã).

A Hemorrede Estadual desempenha um importante papel junto à população, garantindo o acesso à saúde, conforme preceitos constitucionais, além de contribuir significativamente para o uso racional de hemocomponentes. Presta assistência médica hemoterápica e hematológica aos pacientes portadores de coagulopatias, doença falciforme e talassemia. Realiza a captação de doadores de sangue, coleta, armazenamento, processamento, análise laboratorial e a distribuição do sangue coletado e de seus hemocomponentes. Esses processos são realizados segundo rigorosos critérios de qualidade e de padrões técnicos estabelecidos pela legislação vigente.

Doador
do Futuro

Projeto que recebe alunos do ensino médio para conhecer o Hemepar e participar de pequena palestra sobre a doação de sangue e medula óssea.
Agende sua visita: (41) 3281-4000

Se você é profissional da saúde e deseja saber mais sobre o Hemepar, clique aqui.

Onde Estamos

HCC HEMEPAR CURITIBA – 2ªRS

Travessa João Prosdócimo, 145
CEP: 80 045 145 - Alto da XV Curitiba
Fone: (41) 32814000 Fax: (41) 32647029
Diretor: Paulo Roberto Hatschbach
Email: hemepar@sesa.pr.gov.br
Horário de Coleta: 2ª a 6ªf - 07:30 às 18:30 h
Sábado - 08:00 às 17:30 h

saiba como chegar :)

O Hemepar atua em rede, por meio de Unidades localizadas no interior do Estado do Paraná. A Hemorrede desempenha importante papel junto à população, garantindo o acesso à saúde, conforme preceitos constitucionais, além de contribuir significativamente para o uso racional de emocomponentes.

Como Doar

Passo a passo da doação

01

O possível doador é cadastrado no sistema do Hemepar e responde a um questionário.

02

Na Triagem Clínica, é avaliado se ele preenche os requisitos para a doação de sangue.

03

Na Triagem Hematológica, um exame rápido com apenas uma gota de sangue verifica se o candidato não tem anemia.

04

Tudo certo? É feita a coleta de aproximadamente 450ml de sangue.

05

Depois o doador é encaminhado para a sala de lanche e deve permanecer no Hemepar por pelo menos 15 minutos.

Ir para: Quem doa sangue, doa tempo!

Quem doa sangue, doa tempo!

Ao decidir doar sangue, reserve um período do seu dia para fazer a doação sem pressa. Apesar de todo o procedimento ser realizado em aproximadamente 40 minutos, você poderá passar mais tempo conosco dependendo do número de doadores. Pense pelo lado positivo. Quanto mais gente doando, melhor!

Por questões de segurança, não leve crianças quando for doar sangue. O ambiente da doação não permite que elas aguardem junto aos adultos até o término do processo.

Lembre-se: em períodos de feriados prolongados, mais pessoas podem precisar de sangue. Programe-se para datas em que a demanda é maior.

Ir para: O que é preciso para ser doador?

O que é preciso
para ser doador?

Estar descansado e alimentado
(evitar alimentos gordurosos nas
4 horas que antecedem a doação);

Ter entre 16 e 69 anos (menor
de idade acompanhado
pelo responsável legal);

Pesar no mínimo 50kg;

Apresentar documento oficial
com foto (Carteira de Identidade,
Carteira do Conselho Profissional,
Carteira de Trabalho ou Passaporte).

Estar em boas condições de saúde.

Ir para: Impedimentos temporários à doação

Impedimentos
Temporários à doação

  • Gripe ou resfriado: aguardar 7 dias após a cura;
  • Diarreia: aguardar 7 dias após a cura;
  • Durante a gravidez: 90 dias após parto normal
    e 180 dias após cesariana;
  • Amamentação: se o parto ocorreu há menos
    de 12 meses;
  • Ter tomado vacina há menos de 30 dias;
  • Tatuagem nos últimos 12 meses;
  • Piercing nos últimos 12 meses (piercing
    genital e oral, 12 meses após a retirada);
  • Tratamento dentário: período varia de 1 a 7 dias;
  • Situações nas quais houve maior risco de adquirir doenças
    sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses;
  • Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Viagem para cidades endêmicas (que têm epidemia de dengue, zika,
    chikungunya e febre amarela) nos últimos 30 dias.
Ir para: Impedimentos definitivos

Impedimentos
Definitivos

  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes
    doenças transmissíveis pelo sangue: Hepatite B e C,
    AIDS (Vírus HIV), doenças associadas ao HTLV I/II e
    Doença de Chagas;
  • Hepatite viral após os 10 anos de idade;
  • Diabetes insulinodependente;
  • Epilepsia ou convulsão;
  • Hanseníase;
  • Doença renal crônica;
  • Antecedentes de neoplasias (Câncer);
  • Antecedentes de acidente vascular cerebral (Derrame);
  • Uso de drogas injetáveis ilícitas.
Ir para: Certificado e Carteirinha de Doador

Certificado e Carteirinha de Doador

A carteira de doador deve ser retirada no Hemepar 30 (trinta) dias após a data da doação. O doador deve levar documento de identificação para fazer a retirada. Caso outra pessoa for buscar, além do seu próprio documento, também deve levar um documento de identificação da pessoa que fez a doação.

Você terá direito ao Certificado de Doador fidelizado, válido para descontos em eventos culturais (teatros, cinemas, jogos de futebol e shows), após realizar 3 doações em 12 meses. Homens podem doar sangue a cada 60 dias com um máximo de 4 doações a cada 12 meses, enquanto mulheres podem doar a cada 90 dias com um máximo de 3 doações a cada 12 meses.

Ir para: Agendamento de doações

Agendamento de doações

Grupos ou pessoas com deficiência
devem agendar suas doações
pelo telefone (41) 3281-4000, de
2ª a 6ª feira, das 08h00 às 18h00.

Curiosidades

Informações
importantes para
quem acabou de doar

Evite bebidas alcoólicas por 12 horas.

Evite carregar peso com
o braço utilizado para
a doação por 4 horas.

Mantenha o curativo no local da
punção por pelo menos 4 horas.

Evite dobrar o braço por
aproximadamente 30 minutos.

Aumente a ingestão de líquidos (água, chá, sucos).

Evite esforços físicos exagerados
no dia da doação.

Não fume por cerca de 2 horas.

Informações
importantes para
quem acabou de doar

  • Se houver sangramento no local da punção, faça pressão em cima do ferimento, eleve o braço e retorne para a Sala de Coleta para refazer o curativo.
  • Se apresentar palidez, tontura ou suor frio, sente-se na cadeira mais próxima, coloque a cabeça entre as pernas e respire lenta e profundamente. Se não melhorar, deite-se e mantenha as pernas elevadas (acima do peito/tórax).
  • Se esses sinais e sintomas aparecerem quando você estiver em local público, depois que sair do Hemepar, sente-se e solicite ajuda. Caso necessário, telefone para o SAMU (192). A ligação é gratuita.
Ir para: O que acontece com o sangue após a doação

O que acontece com o sangue após a doação?

Após a coleta, o sangue será testado para classificar seu tipo sanguíneo
(Sistemas ABO e RH) e identificar possíveis doenças infectocontagiosas
transmissíveis pela transfusão de sangue.

O sangue coletado é separado em diferentes componentes e armazenado
para a transfusão após resultado negativo dos testes sorológicos: Hepatite B
e C , AIDS (vírus HIV), doenças associadas ao HTLV I/II e doença de Chagas.

Uma bolsa pode ser fracionada e salvar muitas vidas.

O que acontece com o sangue após a doação?

Ir para: Tipos e fatores sanguíneos

Tipos e fatores sanguíneos

  • Hospital do Trabalhador
  • Instituto do Rim e Unirin
  • Hospital Menino Deus
  • Hospital São Lucas
  • UNIRIM
  • Hospital e Mat. Parolin ou Policlínica Leny
  • Hospital e Mat. Victor Ferreira do Amaral
  • Hospital da Polícia Militar
  • Hospital Cajuru
  • Unidade Transfusional do Complexo do
  • Hospital de Clinicas
  • Hospital Evangélico
  • Clínica e Maternidade Mater Dei
  • Hospital do Cindacta II
  • Hospital do Idoso
  • Centro médico Comunitário Bairro Novo
  • Centro Hosp. de Reab. Ana C. M. Xavier
  • ABIMED- Hosp. E Mat. Sta. Madalena Sofia
  • Hospital Oswaldo Cruz
  • Instituto do Rim do Paraná SC Ltda.
  • Centro de Nefrologia Nações
  • Hospital Geral de Curitiba - Exército

Ambulatório

O Ambulatório do Hemepar
atende aos pacientes com as
seguintes doenças do sangue:

Talassemia

Também chamada de Anemia do Mediterrâneo, a Talassemia é um distúrbio sanguíneo hereditário caracterizado pela redução das células vermelhas e hemoglobinas. O diagnóstico precoce e o tratamento correto (feito por meio do transplante de medula óssea) garantem plena qualidade de vida.

Anemia Falciforme

É uma doença hereditária prevalente no Brasil devido à grande miscigenação. Comum em negros, afeta ambos os sexos e leva a várias manifestações clínicas devido à alterações na hemoglobina. Por não possuir um tratamento específico, os portadores precisam de acompanhamento médico constante para prevenir infecções e controlar as crises de dor.

Hemofilia

Com origem genética, a hemofilia é caracterizada pela falta da proteína responsável pela coagulação do sangue. Os sintomas mais comuns são os sangramentos prolongados, que podem ser externos ou internos. O tratamento é feito com a reposição intravenosa do fator deficiente.

Contato

0800 645 4555

Image 01 Image 02 Image 02 Image 02 Image 02